Entrevista com o colecionador

03-20/06-003

Prof. Baby, coleciona praticamente tudo o que está relacionado com as séries e seriados da tv dos anos 60. Projetores de 16mm, películas de 16mm contendo os seriados como: Bonanza, Vigilante Rodoviário, Bat Masterson, Zorro, Roy Rogers, Tarzan, O Rebelde etc..., mais de 3.000 fitas Vhs com os seriados e séries, incluindo poster's e fotos originais da época, completa bibliografia sobre esse material e outras curiosidades que teríamos que ficar algum tempo para listar tudo. O professor argumenta, "tenho material suficiente para montar a programação da época, de alguns canais como, Record, Tupi, Excelsior, não vale as novelas e programas de variedades, desses eu só tenho fotos, agora o que me deixa emocionado é a fisionomia do pessoal de nossa idade, quando assistem essas séries em exposições, nas quais somos convidados a mostrar". Tudo o que nós temos em VHS, temos também em películas de 16mm, e agora estamos conseguindo transformar essas fitas de VHS em CDV (DVD), "isso fará com que haja um aumento na conservação do material". Segue uma entrevista onde o professor conta entre outras coisas como tudo começou.

 

Professor Baby revela segredos de infância

 

 

O Baby, é conhecido pelo seu jeito extrovertido de dar aulas e por ser um dos maiores colecionadores do Brasil de seriados de TV dos anos 60. Sua história de vida quase se confundiria com a história da maioria das crianças brasileiras se não tivesse nascido em um período (fim dos anos 50) em que ainda era permitido à molecada sonhar e brincar pelas ruas e praças das cidades do interior sem correr o risco de ser importunada por interferências doentias, como a droga e o crime, que hoje amedrontam as família brasileiras.

"Eu levava uma vida largada, de moleque de rua. Minha família era pobre e a solução era me virar conforme a necessidade. Mas graças a Deus nunca precisei fazer qualquer coisa que ferisse minha dignidade. No lugar das drogas e dos males que afligem as crianças de hoje, meu maior problema era chegar a tempo no bar Alvorada, ao lado do Brasserie, na Praça José Bonifácio, onde tinha uma televisão (objeto raro naquela época), para assistir aos seriados americanos, que eram a sensação na minha infância e foram consagrados no Brasil pela TV Tupi, Excelsior e Record ".

Seu grande sonho era fazer medicina, porém optou pelo curso de Agronomia na Esalq por influência de um tio. Mas como sua situação financeira sempre foi precária, teve que se virar para pagar suas próprias contas. Começou a dar aulas em colégios e cursinhos em 1978 e quando se formou, na turma de 82, a Agronomia definitivamente não fazia mais parte de seus planos.

A partir de então sua imagem de professor dinâmico e sempre disposto a dialogar com o público jovem foi ganhando forma e consistência. Hoje Baby é um dos mais populares professores de Piracicaba e se vê na responsabilidade de mostrar também seu lado sério e polêmico: "Ensinar não significa somente pôr uma matéria na lousa e pronto, isso não basta, é preciso dar exemplo. Não adianta ficar falando sobre álcool se te encontram num barzinho bebendo".

Esse seu lado ortodoxo fica mais evidente quando se manifesta sobre a importância da religiosidade na vida das pessoas: "Não sou de nenhuma religião, minha filosofia é a seguinte: você tem que ter Deus no coração, porque não viemos do nada. Alguém nos fez. Existe alguém que nos rege, eu não estou aqui de graça, estou aqui porque Deus me colocou aqui, é importante tê-lo no coração, senti-lo e praticá-lo".

Para ele, o comportamento das crianças de hoje em dia está muito modificado. Diz que por causa do excesso de trabalho dos pais, as crianças deixaram de receber algo essencial para sua formação, como carinho, por exemplo. Segundo ele, essa falta de afeto cria uma revolta nos filhos, que certamente vai ser externada na primeira oportunidade que eles tiverem.

O fato de conhecer bem essa nova geração garante o sucesso de suas aulas."Minha forma de dar aulas é diferenciada porque eu me meto no meio dos alunos. É importante saber o momento de brincar e o de falar sério", explica.

 

Hobby

Outro lado curioso: Baby é um dos maiores colecionadores de séries da TV dos anos 60. Desde a época em que era engraxate (1963), boa parte do dinheiro que ganhava era usado para comprar revistas “Intervalo”, que trazia todas as notícias sobre as séries exibidas na TV. Assim podia ficar sabendo o que tinha acontecido nos episódios que não podia assistir.

Em 1985, quando o salário que recebia dando aulas já era uma pouco mais interessante, tomou conhecimento de um professor de história do colégio Dom Bosco (Professor Miguel), de quem comprou vários rolos de filmes dessa séries antigas. Dessa forma pôde começar a resgatar tudo aquilo que não teve acesso quando criança. A partir daí começou a estabelecer contatos com pessoas que possuíam artigos do gênero, recuperar rolos de filmes danificados e transformá-los em VHS.

Essa busca durou quinze anos. Hoje Baby tem quase todas as séries que passaram na TV brasileira na década de 60, inclusive algumas novelas. Com isso o processo se inverteu, as pessoas interessadas pelo assunto ficavam sabendo de seu acervo e começaram a contatá-lo. Daí a idéia de comercializar esse material e todo dinheiro arrecadado passou a ser destinado à compra de mais episódios e para o aperfeiçoamento de seu estúdio de gravação. Mas explica: "meu ganha pão é dar aulas, se parar de dar aulas morro de fome".

Quando questionado se um dia ele irá se aposentar, ele respondeu: "sou um cara muito dinâmico e não consigo parar". Sua principal marca está na eficiência, tanto de suas divertidas aulas como na busca constante de ampliar sua coleção.


***